O Futebol não está inventado!


"Todas as equipas para chegarem à final da Champions dependem do fator sorte, do momento da equipa e da combinação dos sorteios. Depois depende muito da capacidade financeira dos clubes... Não é só o dinheiro que conta mas ajuda muito!", explicou Rui Vitória sobre a sua visão do necessário para chegar à final da competição mais importante para os clubes europeus. 
          “Na semana passada regressou a competição de sonho de todos os clubes. Vários encontros foram disputados e, se em alguns deles os resultados acabaram por definir a eliminatória (Bayern vs Besiktas; Porto vs Liverpool e Basileia vs City), outros continuam a puder sonhar com a passagem aos quartos-de-final. Neste caso, apenas falarei de duas equipas com propostas de jogo claramente mais viradas ao espetáculo e a grandes momentos de futebol, com momentos de aprendizagem para os reais interessados pela modalidade. Refiro-me claramente ao Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca e ao Tottenham de Maurício Pochettino. “
Por diferentes motivos e momentos, uns jogos foram facilmente desbloqueados e outros, deixam antever mais algumas grandes partidas nas 2ªs mãos dos Oitavos-de-Final. E, como tal, mais do que fazer previsões de resultados, resta-me elogiar quem trabalha diariamente em cima dos erros, de forma a apresentar uma ideia de jogo que se coadune com o perfil e caraterísticas do seu comandante e, mais importante, dos seus soldados.
"O Futebol está todo inventado" leio e ouço à muitos anos a parte mas, tudo o que tenho assistido é a evidentes revoluções dentro do meio. A Escola Italiana à uns anos atrás com uma ideia defensiva e cínica do jogo, tornando-se uma verdadeira dor de cabeça para os seus adversários, pouco preparados em termos ofensivos. A Escola Alemã fruto do trabalho árduo em melhorar, a apresentar algumas das melhores ideias e, apesar de não ter de momento alguns dos melhores executantes a nível Mundial, continuam nos melhores, pois tentam melhorar o seu jogo diariamente, apresentando uma "contra-pressão" que continua muito atual! Por último, temos visto a Escola Espanhola a aproveitar-se de toda uma revolução apresentada por Pep Guardiola, com um jogo posicional perfeito e em que a bola é o centro do jogo. Ganhar os jogos com um futebol bonito, vistoso e com grandes intervenientes a executá-lo, conhecendo-o como poucos. A inteligência acima de tudo o resto, algo que trouxe os frutos que todos conhecemos no paradigma Mundial...


Regressando ao início deste texto e analisando as palavras ponderadas do Mister Rui Vitória é fácil de decifrar que a caminhada a nível europeu é uma rua cheia de obstáculos, no entanto, pode ser de possível ultrapassagem. Assim o queiramos e assim trabalhemos para isso...
Nos últimos tempos temos assistido a uma desgraça completa das equipas portuguesas (no geral) nas suas passagens pelas competições europeias (e não me venham com as desculpas da falta de sorte e a treta absoluta da falta de qualidade nas arbitragens). Aquilo a que se tem assistido, é sim, uma falta de trabalho num contexto mais europeu e, menos caseiro! Falta quem queira marcar pela diferença e apresentar um modelo assente nas suas ideias. Falta quem faça acreditar os seus jogadores de que tudo é possível e que o céu é o limite. Falta quem queira algo mais do que ser apenas mais um a seguir as pisadas de tantos outros!
"Para ganhar uma Liga dos Campeões é fundamental trabalhar com uma visão e isso nós temos", concluiu Rui Vitória. É de opinião consensual que o SL Benfica tem sido o clube que melhor tem trabalhado dentro da sua ideia daquilo que deve ser o futuro do clube. O que tem faltado a nível europeu?! Um crescimento da sua ideia de jogo que seja sustentável a nível europeu. 
Mais do que andar aqui a falar de casos de arbitragem e jogos de bastidores, analise-se o que está mal ao nível do jogo, do planeamento e do crescimento anual da equipa. Falemos mais de Futebol e menos do extra-futebol!
Em dias de semanas decisivas na época desportiva de cada um, não sou nem nunca serei daqueles que pensa que o dinheiro domina tudo. Creio que uma equipa que perceba melhor os princípios do seu modelo e que atue com uma capacidade psicológica com índices de confiança superior aos outros (sim, a qualidade do futebol da sua equipa a isso o ajudará) pode-se sobrepor ao nome de um outro clube e ao seu poderio financeiro.
Até porque todos os jogos começam 0-0 e deve-se trabalhar com afinco para apresentar um futebol superior ao adversário e vencê-lo no final. Quero acreditar que quem trabalha com qualidade, certamente será recompensado. Erro = Correção = Melhoria = Crescimento!

Ricardo Carvalho

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.