"Mister, Quero Ir para os Nacionais"


Quantas vezes ouviram um atleta dizer isso? Será sempre uma boa mudança? Quantas vezes pensaram que não será o melhor para ele? Será que essa mudança melhorará o atleta? Como cativar o atleta a ficar na equipa? Vamos divagar sobre esta temática!
Não diria “qualquer um”, mas arrisco a afirmar que a maioria dos Treinadores e Jogadores procuram sempre o que julgam ser o melhor para a sua evolução e a sua possível carreira no Futebol. Porém, há algumas questões que sempre me fizeram pensar “out of the box”
Uma grande parte dos atletas mais competentes das equipas do Distrital, quer sejam Iniciados, Juvenis ou Juniores, é abordada, todos os anos, para jogar nos Campeonatos Nacionais. Os jovens jogadores, na maioria das vezes ambiciosos, acabam por associar esse passo a algo que irá ser uma experiência “super positiva” e que os fará evoluir imenso num contexto competitivo de nível superior. 
Será sempre uma boa mudança? Quantas vezes pensaram que não será o melhor para ele? Acredito que em algumas situações a experiência do Nacional seja positiva, contudo, dependerá muito da adaptação do jovem atleta e da forma como o Treinador trabalha. 
Por vezes assistimos a atletas com talento saírem das equipas onde foram formados durante anos, acabando por nem jogarem nem terem o destaque esperado no Nacional. Em geral, isto acontece devido a algumas diferenças, que vão desde a forma de jogar até ao nível dos outros colegas de equipa. Aqui o Treinador tem também um papel preponderante, já que na formação do plantel poderá aliciar os atletas, sem, no entanto, poder cumprir com o prometido. É sabido que isto afecta e muito os jogadores, causando desmotivação e levando a que muitos deles percam a confiança e a alegria que tinham enquanto atletas na sua anterior equipa.
Será que essa mudança melhorará o atleta? Depende! A meu ver,  a forma de jogar das equipas influencia, e muito, a evolução dos atletas. Passo a explicar… As equipas do Nacional tem com a constante necessidade de vencer para amealhar pontos (para não voltar ao Distrital), porém, em alguns casos, vemos que a forma de jogar é simples e objectiva (para não arriscar perdas de bolas), optando-se  pelo “kick and rush” conhecido como o “estica na frente”! Será que nesses casos os atletas vão aprender muito mais do que apenas chutar a bola na frente e correr? 


Como cativar o atleta a ficar na equipa? Julgo que a melhor forma de cativar o atleta a permanecer no plantel é apresentar o Modelo de Jogo da equipa pensado para a próxima época e transmitir-lhe a satisfação que irá ter em aprender a fazer o que mais gosta! Não chega dizer que é um “projecto para a subida". Todos têm os famosos “projectos de campeão”, mas se o “projecto” falhar, o que fica para evolução do jovem atleta? Penso que jogar e aprender será o melhor caminho, pois nem todos os grandes atletas vieram dos escalões do Nacional.
Elaborar um Modelo de Jogo com vista à evolução do jovem jogador parece-me importantíssimo para que este cresça e evolua, enquanto ser humano e atleta. Jogar Futebol apoiado parece-me a solução (não a mais fácil!), mas a mais correcta para muitas situações.
Quantos atletas conhecem que ficaram no Nacional e não tiveram sucesso? E vocês que opiniões têm sobre este assunto?

Rui Gomes


1 comentário:

  1. Não deixa de ser uma experiência diferente, não deixa de ter outra visibilidade os campeonatos nacionais. São oportunidades que não aparecem todos os dias, obviamente temos que ter em conta que equipa é essa da nacional. Mesmo assim, acho que não deixava de ser uma experiencia positiva para qualquer atleta que tenha essa oportunidade

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.