Os Bonecos da Comunicação Social




          Entramos na segunda volta do campeonato no próximo fim de semana, com três grandes candidatos ao título, F.C.Porto(45), Sporting(43) e Benfica(40). Campeonato ao rubro, Taça de Portugal e Taça da Liga a entrarem em fases decisivas à procura dos finalistas em ambas as competições e com o Porto a representar Portugal na Champions League, Sporting Clube de Portugal e Sporting de Braga na Liga Europa. Motivos não faltam para que a discussão em torno do Futebol Português não fosse senão as equipas, os jogadores e as equipas técnicas.
              Ainda assim, na última semana, semana e meia, polémica instalada após a arbitragem dúbia do derby Benfica x Sporting, que começou com as declarações de Rui Vitória. Depressa os jornalistas procuraram saber a opinião de Jorge Jesus e a opinião de Sérgio Conceição. Aqui é que a coisa estalou: Sérgio Conceição depressa fez uma analogia entre o Treinador do Benfica e um boneco que o seu filho possui, numa veemente crítica a uma incoerência do ribatejano, algo que muitos interpretaram como declarações desrespeitosas. Entretanto o timoneiro do F.C.Porto voltou atrás e sentiu necessidade de pedir desculpa.
         Voltou atrás mostrando estupefação perante ninguém lhe perguntar nada sobre a recente polémica. Vendo um daqueles programas de discussão futebolística, em que não se discute nada, especulava-se um condicionamento do Porto às perguntas dos jornalistas. Um bocadinho por todo o lado esperava-se pela resposta de Rui Vitória e alguns até antecipavam um campeonato de conferências de imprensa.
         Ora bem, entendo necessário fazer uma crítica a Sérgio Conceição: não tem defesa, ter contribuído para que a discussão futebolística se afastasse do Futebol em si. Mais do que qualquer coisa, tinha de assinalar este facto. Depois, e esperando que com o perdão tenha terminado com esta questão, é muito triste que as declarações mais relevantes e mais tidas como importantes de um Treinador seja quando o assunto é tudo menos Futebol.


            Aqui vai uma ideia de um louco: para quando jornalistas que gostem de Futebol? É que, só nos três grandes temos Rui Vitória, que só em duas épocas ganhou inúmeros títulos pelo Benfica, Jorge Jesus cuja carreira como Treinador é pautada por excelentes equipas que lhe permitiram a conquista de vários títulos, e Sérgio Conceição, ainda órfão de títulos mas com uma carreira como jogador invejável. Só nos três grandes, quero eu sublinhar.
            Aqui vai nova ideia de um louco: porque não perguntar a estes Treinadores sobre as suas equipas, os seus jogadores, a preparação do próximo jogo, a observação do adversário, como se reinventam enquanto Treinadores, entre muitos outros assuntos bastante mais importantes.
            Aqui vai uma terceira ideia de um louco: para quando jornalistas com formações específicas de Futebol? Ou este exercício de jornalismo apenas serve para criar controvérsia e vender? Quem são os bonecos agora afinal? Ou estarei a imaginar um mundo semelhante ao de Alice, quando transportada para o país das maravilhas?
            Ontem, o Sporting Clube de Portugal garantiu o passaporte para as meias-finais num jogo que ficou marcado pela necessidade de Jorge Jesus trazer Bruno Fernandes e Bas Dost do banco para garantir a vitória. Aquando do apito final, Bas Dost e Ristovski trocavam ideias no meio do campo em relação a lances protagonizados na segunda parte. Esta troca de ideias ganhou contornos de discussão, e Jorge Jesus, junto a ambos, apreciava. Algo normal diria, entre colegas que tudo fazem para que o seu clube tenha sucesso. Chega Jorge Jesus à conferência e a pergunta da praxe é feita, ao qual Jorge Jesus responde: “Perguntas da treta pá”
           Deixem-se de tretas e falem de Futebol. Tirou-se os focos dos programas de discussão que não discutem nada, para o discurso dos Treinadores, pelas piores razões. Talvez um dia nos consigamos focar nos verdadeiros intérpretes deste desporto que todos amamos. Talvez um dia consigamos entrar no país das maravilhas.

Pedro Cardoso

2 comentários:

  1. O artigo é de facto, muito pertinente e cruza o paradigma jornalístico, que cada vez mais se foca no sensacionalismo barato ao invés de afunilar as questões centrais e nucleares das matérias que nos fazem vibrar. É o nível do que por cá existe, no entanto, prefiro filtrar e ter o livre arbítrio de ser "cergo,surdo e mudo" para aquilo que não me acrescenta nada. Continuação de bom trabalho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo seu comentário Luis.

      É com tristeza que nós membros do Futebol Apoiado olhamos para esta realidade. Consideramos que, este ano, temos tido Treinadores na nossa liga que têm tido o mérito de falar bastante de Futebol e até revelar algumas ideias nas conferências de imprensa que antigamente seriam guardadas nos respetivos baús. Tivemos até o o exemplo de Miguel Cardoso e Pepa que fizeram aquela conferência de imprensa pós-jogo em conjunto. Até por isso seria interessante aprofundar o debate, mas raramente é essa a opção.

      Continue a acompanhar o Futebol Apoiado. Cumprimentos

      Eliminar

Com tecnologia do Blogger.