Antevisão 2017/2018: Tottenham Hotspur


Viajando até ao país do Futebol, para mais uma antevisão Futebol Apoiado, facilmente atentamos a várias equipas sobre as quais se pode escrever. A Premier League oferece ao adepto de Futebol o verdadeiro espectáculo do desporto-rei. Perante a difícil tarefa de escolher uma equipa inglesa, optei pelo Tottenham Hotspur.
Mesmo não ganhando nenhum título nos dois últimos anos, facilmente concordaremos todos que estamos perante a equipa mais coesa, em termos de resultados desportivos e qualidade exibicional da Premier League (nesse espaço de tempo, bem entendido). Há dois anos lutou com o Leicester City até ao fim, caindo para 3º lugar após uma fase final decepcionante e este ano voltou a ser o principal perseguidor do primeiro lugar, lutando com o Chelsea.
Em que se baseia então uma equipa como os Spurs, que cresceu astronomicamente nos últimos anos, sendo importante recordar que era uma equipa habitualmente candidata ao 5º/6º lugar? Três parâmetros: um excelente e, porventura desvalorizado, Treinador de seu nome Mauricio Pochettino, um elenco de jogadores de qualidade inegável e uma estrutura mantida desde há alguns anos. Essa mesma estrutura é que tem permitido ao clube de Londres ter performances tão consistentes na liga mais exigente do Futebol.


Olhando para a época passada, vemos que o Tottenham alinhou quase sempre em 1x3x4x2x1, sistema táctico raro, mas que proporcionou dinâmicas bastante interessantes, com Hugo Lloris na baliza, Alderweireld, Verthogen e Eric Dier numa defesa a três (cada vez mais famosa em Inglaterra), Kyle Walker a percorrer o flanco direito e Danny Rose o flanco esquerdo, Wanyama e Dembéle no meio-campo, com Delle Alli e Eriksen como médios ofensivos atrás do melhor marcador do campeonato, Harry Kane.
Este 2017/2018 poderá ser bastante interessante para os pupilos de Pochettino. Sem mexidas no plantel, nem entradas nem saídas, ainda que jogadores como Kyle Walker ou Danny Rose estejam a ser cobiçados, perfilo o Tottenham como um sério candidato à vitória  na Premier League, não o principal, mas estando na corrida como nos últimos dois anos.
Sabemos que o Manchester City de Pep Guardiola entrará na nova época com as fichas todas apontadas à conquista do título, com um avultado investimento financeiro que o Tottenham não faz. Sabemos também que, encontrando a fórmula correcta, a equipa de Guardiola poderá ser muito difícil de bater, podendo ser até a equipa favorita.
Campeão na época passada, o Chelsea de Antonio Conte será também um sério candidato, não só por ser o vencedor em título, mas porque mantém o seu plantel, fortalecendo-o perante a presença na Liga dos Campeões. Veremos como serão regidos os supostos atritos entre Presidente e treinador e se terão influência no alcance dos objectivos. O United de Mourinho, o Liverpool de Klopp e o Arsenal de Wenger serão sempre ameaças aos três mais fortes, onde incluo o Tottenham.


Mas contra hipóteses mais nefastas já o Tottenham conseguiu excelentes prestações. À medida que os anos passam a equipa fica mais experiente e compreende o que é necessário para quebrar o enguiço. Manter a estrutura (Treinador + Plantel) será crucial para o estatuto de candidato se consumar. Ainda assim, considero crucial aumentar a qualidade da segunda linha. Son é um jogador que me encanta e alterna bastante entre o banco e a titularidade. Há também Lamela, que continua a deixar os amantes do Futebol com um sabor agridoce, dada a diferença entre o que poderia ser e o que tem siso. Vincent Jansen e Moussa Sissoko foram autênticos fiascos contra todas as previsões, somando Ben Davies e Keiran Trippier, certinhos aquando chamados. As restantes apostas são jogadores da Formação, que precisam de trabalho para crescer, o que não significa que não tenham qualidade, mas que para um candidato ao título teremos de julgar como curto.
Duas curiosidades em relação a época 2017/2018:

- Adrien Silva e Ricardo Pereira já foram fortemente ligados ao Tottenham, tendo em conta a próxima época. Adrien seria para apetrechar o meio-campo com mais uma alternativa de grande qualidade, já Ricardo Pereira, lateral direito do Futebol Clube do Porto, seria numa perspectiva de substituir Kyle Walker. Por esta razão avizinha-se mais próxima da realidade a transferência de Adrien, conseguindo o Tottenham apresentar os números necessários para convencer Bruno de Carvalho

- O Tottenham na próxima época jogará os seus jogos caseiros no Wembley Stadium. O mítico estádio da final da FA Cup será o novo palco dos jogos da equipa de Pochettino, passando os Spurs para uma casa que possui 90 mil lugares, contra os 37 mil que capacitava o White Hart Lane. Imagine-se o ambiente…

2017/2018 será um ano para o Tottenham comprovar que os últimos dois anos não foram um acaso. Os títulos secundários como a FA Cup ou a League Cup seriam boas conquistas para construir um rumo ganhador. Uma presença nos oitavos-de-final da Champions League seria cimentar o estatuto deste elenco entre os melhores europeus. Desafios interessantes e importantes para Mauricio Pochettino e os seus atletas. Veremos o que conseguem conquistar. Que role a bola!

Pedro Cardoso

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.