O Feedback do Treinador


        A palavra feedback é cada vez mais usada no universo futebolístico para descrever as acções e reacções entre Treinadores e Jogadores. Pretendo enaltecer o chamado feedback pedagógico porque se trata de uma parte importante do processo de aprendizagem do jogador. 
        O feedback resultará apenas na forma de diálogos entre interlocutores? Não, embora seja uma das formas privilegiadas de o fazer por parte do Treinador! O feedback acontece então de várias formas: 

- Auditiva: normalmente acontece como primeiro contacto entre os interlocutores. O Treinador realiza um chamamento direccionado a um jogador ou a vários (nome, assobio exclamação…). Embora menos comum, pode também haver esta forma de contacto da parte do jogador para o Treinador! 
- Visual: através de gestos para o campo que o(s) atleta(s) decifra(m) com facilidade. Outra das expressões desta forma são os quadros tácticos, onde por grafismos ou desenhos se transmite o pretendido!
- Quinestésica: expressão corporal do Treinador que leva significado intrínseco para os seus jogadores. Muitas vezes apenas por simples gestos para comunicar com motivação o que se pretende.
- Mista: Não é mais do que em cada intervenção usar um pouco de cada uma, atrevo-me a dizer que na maioria das vezes de forma inconsciente, esta é a mais utilizada no decorrer de um jogo!

O objectivo deste feedback pedagógico, quer em treino quer em jogo, pode ter vários intuitos. O mais usual será avaliativo das atitudes tidas num dado momento e ainda descritivo (de como fazê-lo). Algumas vezes apenas prescritivo (sugerindo como deve ser) ou até interrogativo (como por exemplo abrindo os braços ou esboçando um porquê?).


        O momento a escolher para este feedback é muito importante, podendo ser aconselhável ser em cima dos acontecimentos ou bem depois dele ter acontecido! Cada Treinador tem que avaliar qual o momento ideal para ser dada essa comunicação. 
       Não menos importante é o nível de afectividade que é dado no feedback. Este pode ser mais ou menos positivo ou negativo. Quando estamos desagradados com algo temos tendência a dar exclusivamente feedbacks com conteúdo negativo, o que não favorece o elemento e/ou a equipa! A abordagem deverá ser tida em conta, momento a momento e caso a caso! Não há bons nem maus feedbacks pedagógicos, há, isso sim, entendimento ou não entre os interlocutores! Esse será o papel do Treinador: conhecer cada atleta e a equipa como um todo, para saber a melhor forma agir. Pensar antes de agir!

Rui Gomes


Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.