Treinador de Guarda-Redes: o "Gerente das Balizas"

16:54

Como é do conhecimento de todos, o Treinador de Guarda-Redes faz parte de uma Equipa Técnica liderada e comandada pelo chefe máximo, o Treinador Principal. Uma das principais características de um bom líder é saber delegar. Normalmente os Guarda-Redes estão sob a alçada de um Treinador específico: o Treinador de Guarda-Redes. De seguida, e fazendo uma comparação a meio de trabalho, vou descrever o “Gerente das Balizas”.
Esclarecendo posições hierárquicas: o Treinador Principal é o patrão e o Treinador de Guarda-Redes é um dos seus gerentes.
O que implica ser “um gerente”? Liderar um processo dentro da liderança do Treinador Principal. Uma excelente articulação entre as “linhas base corporativas” (o Modelo de Jogo) e a adaptação ao contexto específico dos Guarda-Redes. Ser parte do processo, ou seja, uma articulação constante com o produto final, o jogo e o Processo de Treino como meio para o jogo. Um bom gerente tem de saber tomar decisões, porque, no final de contas, lidera um processo. A grande diferença está no seguimento de “guidelines” que vêm do topo da corporação (o Treinador Principal).
Em todo este processo, há um elemento essencial em qualquer organização. Falo da Comunicação (formal ou informal), do feedback existente entre todos quantos fazem parte do processo, quer ao longo do processo em si, quer após o resultado final. Havendo um líder, e tendo em conta a sua liderança, temos de respeitar as “normas corporativas” e saber que a qualquer momento podemos “ser ultrapassados” por uma decisão que vem de cima. Na realidade controlamos o processo e parte da decisão final, mas não nos podemos iludir e esquecer que quem manda é o “Boss”!


Então, afinal, lideramos o quê? Essencialmente o processo! Ajudamos a fazer crescer a “corporação” dentro daquilo que as nossas competências nos permitem: o treino específico dos Guarda-Redes e a influência do Guarda-Redes na equipa (como um todo). É importante focarmo-nos no nosso trabalho e naquela que realmente é a nossa tarefa, pois o Treinador Principal tem imensas áreas com que se inteirar e nós podemos ser vitais naquela que a nossa responsabilidade: o Guarda-Redes. Existem momentos que devemos saber valorizar o contacto próximo e a relação que conseguimos criar com os nossos Guarda-Redes (os nossos trabalhadores), afinal de contas eles também são o fruto do nosso trabalho e é com eles que crescemos diariamente. Daí ser importante a transparência, a honestidade e a frontalidade naquele que é o nosso trabalho específico.
Para finalizar, há um ponto-chave que pode não ter ficado esclarecido e que é de extrema importância o esclarecer. Uma corporação (ou equipa) tem uma identidade própria! Todos fazemos (e somos) parte dela! Não existem grupos dentro da equipa. Trabalhamos todos para o mesmo, cada um no seu contexto, em tarefas delegadas pelo líder para chegar ao que realmente interessa – o sucesso do todo em função do sucesso das partes. 

                                                                       Miguel Menezes

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.