Emigrantes de Sucesso


Portugal é um país de emigrantes. Sempre foi. São anos e anos de História de emigrantes que saíram da sua terra natal à procura de mais e melhores condições de vida ou à procura de alcançarem o reconhecimento lá fora que nunca lhes foi dado cá dentro. De há uns anos a esta parte, Portugal passou a ter um novo tipo de emigrante: o Futebolista. A qualidade dos nossos jogadores, aliada à sua capacidade de trabalho e a adaptação a novos contextos, leva-os a procurar novas aventuras no estrangeiro. E é precisamente por isso que pretendo criar a rubrica “Emigrantes de Sucesso”. Um espaço que os leitores do Futebol Apoiado podem vir a acompanhar periodicamente.
Por ser a primeira edição desta rubrica, sinto que há uma responsabilidade extra na escolha do primeiro representante de uma lista que se imagina longa devido à nossa vontade de sucesso português em terras estrangeiras. E possíveis opções não faltam, comprovando a qualidade do trabalho realizado em Portugal. Poderia ter escolhido Cristiano Ronaldo ou José Mourinho, mas que mais falta dizer destas figuras e do que já contribuíram para o crescimento do Futebol Nacional?
Mesmo considerando esta responsabilidade extra, já não considero um risco escolher Bernardo Mota Veiga de Carvalho e Silva, actualmente jogador da A.S.Mónaco, como o primeiro “Emigrante de Sucesso”. Recentemente premiado como o melhor jogador do mês de Janeiro a actuar na Ligue 1, este atleta é um caso óbvio de que um jogador, para se transcender, é dependente do contexto em que está inserido e das condições que lhe são dadas para evidenciar em campo todo o seu talento. Bernardo Silva chegou ao Benfica aos sete anos e logo lhe foi detectado um talento natural para a prática futebolística. Foi trabalhado durante mais de uma década no Seixal e, à medida que foi subindo de escalão, começou-se a criar a ideia que seria o novo produto de uma Formação que desde Rui Costa não fazia crescer um atleta de inegável qualidade.
Contudo, é na passagem da Equipa B para a Equipa Principal dos encarnados que o contexto se revelou inadequado para Bernardo Silva (não obstante todo o talento revelado nos B’s). O Treinador da Equipa Principal era Jorge Jesus. Com efeito, importa elaborar esta opinião. Jorge Jesus não é exímio na Formação e rentabilização de jovens da casa. Nunca o foi, nem nunca será. Jorge Jesus é um treinador que não molda o seu Modelo de Jogo aos jogadores que tem, optando pelo contrário, ou seja, moldar os jogadores ao seu Modelo de Jogo. Daí que seja forte na potenciação de jogadores possuidores de características que lhe agradam, ficando alguns “Bernardos Silvas” para trás.
Senão vejamos: na direita, onde brilha agora na equipa de Leonardo Jardim, não teria lugar, pois Jesus só actua com destros do lado direito e canhotos do lado esquerdo. Basta atentar no historial de extremos comandados pelo actual Treinador leonino. Bernardo Silva dificilmente se tornaria no típico “8” de Jorge Jesus, pois teria de ser moldado para se transformar num jogador que o próprio não quereria ser. À esquerda, parece-me difícil e havia Nico Gaitán. Segundo Avançado? Também não. A solução encontrada pelo “ criador “ era, pasme-se, adaptar Bernardo Silva a defesa esquerdo.
Perante tal tomada de decisão, o jogador procurou outros caminhos. Foi para o Principado, onde encontrou um clube (A.S.Mónaco) com uma filosofia de rentabilização de jovens atletas. Encontrou o tal contexto que lhe era favorável e que na Luz só teve até encontrar Jorge Jesus. Tem jogado com Leonardo Jardim no corredor direito do meio-campo, aproveitando o seu fantástico pé esquerdo, desequilibrando em movimentos interiores. Esteve no golo do empate frente ao Paris Saint-Germain recentemente, um golo que poderá ser bastante importante nas contas finais do campeonato. Pelo meio, falhou o Europeu de França por lesão, mas tem feito o seu caminho, sustentado, estando já previsto um leilão no próximo Mercado de Transferências para adquirir o seu passe.
Acredito que Bernardo Silva será a referência do Futebol Português no pós-Ronaldo. Seria uma questão de tempo até um atleta de qualidade inquestionável aos olhos dos mais distraídos encantar os adeptos portugueses e os restantes adeptos espalhados por esse mundo fora. Bernardo Silva tem destino de craque e será uma referência da história do Futebol Português e Mundial.
Chamem-me louco, é aquilo em que acredito. E construiu a sua curta carreira através do trabalho, calando já alguns “distraídos”. Aproveito, a título de curiosidade, para deixar uma pergunta: a sair do Principado, que clube europeu oferece, atentando ao estilo de jogo de Bernardo Silva, o melhor contexto para o atleta português dar o próximo passo? 

Pedro Cardoso

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.